Satisfação e Fadiga por Compaixão em Profissionais de uma Casa de Apoio Institucional para Crianças e Adolescentes

Autores

  • Vitória de Luiz Lucena Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
  • Simone Costa Silva Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
  • Geymeesson Brito da Silva Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • José Lucas de Souza Rodrigues Centro Universitário de Patos (UNIFIP)

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i1.464

Palavras-chave:

Assistência Institucional, Qualidade de Vida Profissional, Satisfação por Compaixão, Fadiga por Compaixão

Resumo

O presente estudo objetiva analisar a percepção dos profissionais em relação a satisfação e fadiga por compaixão na prestação de assistência institucional em uma casa de apoio, localizada na cidade de Patos - Paraíba. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa e natureza exploratória. Na coleta de dados, adotou-se um roteiro semiestruturado de entrevistas adaptado de Mbumba (2019). Na coleta de dados, buscou-se conhecer o perfil dos profissionais que prestam assistência institucional e analisar a qualidade de vida profissional destes profissionais por meio da percepção da satisfação e fadiga por compaixão. Em relação a satisfação por compaixão – polo positivo – do modelo de qualidade de vida profissional foi identificado que a maioria dos profissionais se sentem felizes ajudando as crianças. No que se refere a fadiga por compaixão – polo negativo –, foi constatado que o excesso da compaixão pode afetar a saúde mental e o desempenho dos profissionais envolvidos, consequentemente, alguns destes chegaram a ter início de depressão.

 

Biografia do Autor

Vitória de Luiz Lucena , Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Graduada em Administração pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Simone Costa Silva, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Doutora em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

José Lucas de Souza Rodrigues, Centro Universitário de Patos (UNIFIP)

Graduado em Gestão Pública (IFRO) e em Arquitetura e Urbanismo (UNIFIP)

Referências

AMARAL, L. V. O. Q.; GOMES, A. M. D. A.; FIGUEIREDO, S. V.; GOMES, I. L. V. Significado do cuidado às crianças vítimas de violência na ótica dos profissionais de saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 34, p. 146-152, 2013.

ANDRADE, K. O.; ANDRADE, P. O.; LEITE, L. F. Qualidade de vida dos trabalhadores da área de saúde: revisão de literatura. Revista Científica do ITPAC, Araguaína, v. 8, n. 1, jan. 2015.

ANTUNES, J. S. G. B. Qualidade de Vida Profissional e a sua relação com a Percepção do Suporte Social em Profissionais de Casas de Acolhimento Residencial. 2020. 116 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia da Educação, Desenvolvimento e Aconselhamento). Universidade de Coimbra, 2020.

BARBOSA, S. C.; SOUZA, S.; MOREIRA, J. S. A fadiga por compaixão como ameaça à qualidade de vida profissional em prestadores de serviços hospitalares. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, v. 14, n. 3, p. 315-323, 2014.

BARBOSA, S. C.; SOUZA, S.; MOREIRA, J. S. A fadiga por compaixão como ameaça à qualidade de vida profissional em prestadores de serviços hospitalares. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, v. 14, n. 3, p. 315-323, 2014.

CAMPOS, J. F.; DAVID, H. S. L. Avaliação do contexto de trabalho em terapia intensiva sob o olhar da psicodinâmica do trabalho. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, p. 363-368, 2011.

COATES, D.; MAX, C. Healthy work: Productive workplaces. Why the UK needs more ‘good jobs’. London: The Work Foundation, 2005.

COOPER, C.; BEVAN, S. Business benefits of a healthy workplace. In: DAY, A.; KELLOWAY, A.; HURRELL, K.; KELLOWAY, KEVIN.; HURRELL, JOSEPH J. JR. (Eds). Workplace well-being: How to build positive, psychologically healthy workplaces. Wiley-Blackwell, 2014.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de Pesquisa em Administração. 12. ed. McGraw Hill Brasil, 2016.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. 5. ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 2018.

DIEHM, R. M.; MANKOWITZ, N. N.; KING, R. M. Secondary traumatic stress in Australian psychologists: Individual risk and protective factors. Traumatology, v. 25, n. 3, p. 196, 2019.

FIGLEY, C. R. Compassion fatigue as secondary traumatic stress disorder: an overview. In C. R. Figley (Org.), Compassion fatigue. New York: Brunnar/Mazel, 1995.

FIGLEY, C. R.; LUDICK, M. Secondary traumatization and compassion fatigue, 2017.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, v. 35, p. 57-63, 1995.

HOUSE, J. S. Work stress and social support. Addison-Wesley series on occupational stress, 1983.

IAFFALDANO, M. T.; MUCHINSKY, P. M. Satisfação no trabalho e desempenho no trabalho: uma meta-análise. Boletim psicológico, v. 97, n. 2, 1985.

IPINZA, W. Percepción del burnout y autocuidado en Psicólogos Clínicos Infantojuveniles que trabajan en Salud Pública en Santiago de Chile, 2010.

JOINSON, C. Coping with compassion fatigue. Nursing, v. 22, n. 4, p. 116, 1992.

JULIANO, M. C. C.; YUNES, M. A. M. Reflexões sobre rede de apoio social como mecanismo de proteção e promoção de resiliência. Ambiente & Sociedade, v. 17, p. 135-154, 2014.

KRAUSE, N. Understanding the stress process: Linking social support with locus of control beliefs. Journal of Gerontology, v. 42, n. 6, p. 589-593, 1987.

LAGO, K.; CODO, W. Fadiga por compaixão: evidências de validade fatorial e consistência interna do ProQol-BR. Estudos de Psicologia (Natal), v. 18, p. 213-221, 2013.

LAGO, K.; CODO, W. Fadiga por Compaixão: o sofrimento dos profissionais em saúde. Petrópolis: Vozes, 2010.

LOBIONDO-WOOD, G.; HABER, J. Pesquisa Em Enfermagem: Métodos. Avaliação Crítica, 2001.

MASLACH, C.; JACKSON, S. E. The Measurement Of Experienced Burnout. Journal of Organizational Behavior. 1981.

MASLACH, C.; LEITER, M. P.; SCHAUFELI, W. Medindo o esgotamento, 2009.

MBUMBA, E. E. B. E de nós, quem cuida?! A experiência de trabalhar com mulheres vítimas de violência nas relações de intimidade. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Instituto Universitário: Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA). Lisboa, Portugal, 2019.

MINISTÉRIO DA CIDADANIA, 2019. Serviços de acolhimento para crianças, adolescentes e Jovens. Disponível em: https://www.gov.br/cidadania/pt-br/acoes-e-programas/assistencia-social/unidades-de-atendimento/servicos-de-acolhimento-para-criancas-adolescentes-e-jovens. Acesso em: 19 maio. 2022.

MOTA, D. D. C. F.; CRUZ, D. A. L. M.; PIMENTA, C. A. M. Fadiga: uma análise do conceito. Acta Paulista de Enfermagem, v. 18, p. 285-293, 2005.

NASCIMENTO, L. S.; STEINBRUCH, F. K. “The interviews were transcribed”, but how? Reflections on management research. RAUSP Management Journal, v. 54, p. 413-429, 2019.

PATOS. Prefeitura Municipal de Patos, 2018. Casa de acolhimento tem dia dedicado às crianças. Acesso em: 07 mar. 2022. Disponível em: http://patos.pb.gov.br/noticias/casa-de-acolhimento-a8959.html

RIBEIRO, D. L.; SANTOS JUNIOR, R.; BIROLLI, M. L.; SMOLARI, L. A. Fadiga por compaixão e saúde mental de profissionais em ambiente hospitalar. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, v. 13, 2021.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2018.

SINCLAIR, S. Simpatia, Empatia e Compaixão: Um estudo de teoria fundamentada de entendimentos, experiências e preferências de pacientes em cuidados paliativos. Medicina paliativa , v. 31, n. 5, p. 437-447, 2017.

SIQUEIRA, M. M. M.; PADOVAM, V. A. R. Bases teóricas de bem-estar subjetivo, bem-estar psicológico e bem-estar no trabalho. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 24, p. 201-209, 2008.

SOUZA, C. G. V. M. D.; BENUTE, G. R. G.; MORETTO, M. L. T.; LEVIN, A. S. S.; ASSIS, G. R. D.; PADOVEZE, M. C.; LOBO, R. D. Qualidade de vida profissional na saúde: um estudo em Unidades de Terapia Intensiva. Estudos de Psicologia (Natal), v. 24, n. 3, p. 269-280, 2019.

STAMM, B. H. The concise ProQOL manual. 2nd. ed. Pocatello, ID: ProQOL.org, 2010.

STAMM, B. H. The professional quality of life scale: Compassion satisfaction, burnout & compassion fatigue/secondary trauma scales. Lutherville, MD, 2005.

STAMM, B. H. The ProQOL Manual. Idaho State: Institute of Rural Health, University, 1995.

WATERMAN, A. S.; SCHWARTZ, S. J.; CONTI, R. As implicações de duas concepções de felicidade (gozo hedônico e eudaimonia) para a compreensão da motivação intrínseca. Revista de estudos da felicidade, v. 9, n. 1, p. 41-79, 2008.

Downloads

Publicado

2024-03-01

Como Citar

LUCENA , V. de L. .; SILVA, S. C. .; SILVA, G. B. da; RODRIGUES, J. L. de S. . Satisfação e Fadiga por Compaixão em Profissionais de uma Casa de Apoio Institucional para Crianças e Adolescentes. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 331–349, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i1.464. Disponível em: https://revistas.ifsertaope.edu.br/index.php/rsdv/article/view/464. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas - Artigos